Rádio CN Agitos

sábado, 25 de outubro de 2014

Comer mais gordura pode ser bom para a saúde segundo estudos.


Ao contrário do que diz o senso comum e os conselhos de muitos médicos dos últimos anos, comer mais gordura pode ser benéfico para a saúde.
Diversos estudos recentes apontam para o fato de que certos tipos de gorduras – e não todos - podem sair da lista de "vilões", seja para quem quer emagrecer ou evitar problemas cardíacos, afirma o médico Michael Mosley, que apresenta o programa da BBC Trust me, I'm a Doctor (Confie em mim, eu sou médico, em tradução livre).
"Essas pesquisas são o tipo de notícia que faz com quem você queira jogar na pia aquele leite desnatado que você usa no seu cappuccino", diz Mosley.
Se a crença era a de que gorduras saturadas criavam coágulos nas artérias e engordavam, novas evidências mostram que consumi-las pode, na verdade, ajudar a perder peso e ser benéfico para o coração.
No início do ano, por exemplo, um estudo liderado pela British Heart Foundation causou polêmica. Cientistas de Oxford, Cambrige e Harvard, entre outros, examinaram a ligação entre o consumo de gordura saturada e doenças cardíacas.
Apesar de analisar o resultado de quase 80 estudos envolvendo mais de meio milhão de pessoas, eles não encontraram evidências convincentes de que comer gorduras saturadas implicava em um maior risco de problemas cardíacos.
Mais do que isso, quando analisaram os testes sanguíneos, eles descobriram que altos níveis de gorduras saturadas estão associados com menor risco de doenças coronárias. E isso é válido especialmente ao tipo de gordura saturada encontrada no leite e outros laticínios, conhecido como "ácido margárico".
A pesquisa provocou desconfiança por parte de alguns especialistas, que temem que o resultado possa confundir as pessoas e que passe não uma mensagem de que é ok consumir mais de algumas outras formas de gordura, mas sim de que é ok comer muito mais gordura saturadas até em doces.
E isso é preocupante, segundo eles, porque é sabido que os altíssimos níveis de obesidade no mundo vem sendo inflamado por petiscos como muffins, bolos e salgadinhos, todos com altos índices de gordura, açúcar e caloria.
Professora Kay-Tee Khaw, de Departamente de Saúde Pública da Universidade Cambridge, foi enfática ao dizer que a pesquisa não é uma licença para se encher de junk food. Mas ela concordou que os resultados tornam o cenário nutricional mais complicado.
"É complicado no sentido de que algumas comidas que têm muita gorduras saturadas parecem reduzir doenças cardíacas."
Segundo ela, há fortes evidências de que comer oleaginosas algumas vezes por semana reduz o risco de males do coração, apesar de conterem gorduras saturadas e insaturadas. A pesquisadora afirma ainda que as provas disso são menos fortes em relação a laticínios, e vê poucos problemas no consumo de manteiga e leite.
Mas, deixando de lado as questões cardíacas, de qualquer jeito, gorduras são ruins porque engordam, certo? Não necessariamente.

Um estudo recente produzido pelo Scandinavian Journal of Primary Health Care, intitulado "Alto consumo de gordura de laticínios ligado a menos obesidade" questiona essa relação.
No estudo, pesquisadores analisaram 1.589 suecos por 12 anos. Os que seguiram uma dieta baixa em gorduras – cortando manteiga, leite desnatado e cremes – tinham mais tendência a terem excesso de peso na região abdominal do que os que consumiam manteiga, leite A e creme de leite.
Uma das razões para isso pode ser o fato de que consumir gordura faz a pessoa se saciar rapidamente, então, quando ela é cortada da dieta, o que se faz é substituir (conscientemente ou não) calorias com outros alimentos. E frequentemtente essa substituição vem em forma de carboidratos como pão branco e massas.

Calorias

O que se está concluindo até o momento é que não está liberado comer frituras ou colocar creme em tudo, porque mesmo o coração não sendo prejudicado pelo consume de gorduras, já está provado que ele é sim afetado por uma alta ingestão de calorias.
"Acredito que a maioria das gorduras saturadas, especialmente a de alimentos processados, não são saudáveis", disse Michael Mosley. "Mas eu voltei a consumir manteiga, iogurte grego e leite semidesnatado, além de estar comendo muito mais castanhas, nozes, peixes e vegetais".

domingo, 12 de outubro de 2014

Cinco formas de reduzir e controlar a taxa de colesterol,segundo estudos.

O colesterol é importante para a regeneração dos tecidos, dos ossos e para a síntese dos hormônios sexuais e da vitamina D
O colesterol é importante para a regeneração dos tecidos, dos ossos e para a síntese dos hormônios sexuais e da vitamina D (Thinkstock/VEJA)
O colesterol é um tipo de gordura que circula na corrente sanguínea e que carrega a fama de vilão pelo fato de, em excesso, aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como derrame e infarto. A substância, no entanto, é essencial para algumas funções do organismo, já que ajuda na regeneração dos tecidos e dos ossos e na produção de hormônios sexuais e de vitamina D. Prova disso é que 70% de todo o colesterol presente no corpo de uma pessoa é produzido por seu próprio organismo.
Para circular pela corrente sanguínea, o colesterol precisa se ligar a uma lipoproteína, molécula que contém proteína e gordura. Existem dois tipos dessas moléculas transportadoras: as lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e as de alta densidade (HDL) — e são elas que determinam se o colesterol será mais ou menos prejudicial à saúde.

Enquanto o LDL deposita o colesterol nas paredes das artérias, podendo entupir os vasos e desencadear problemas cardiovasculares, o HDL leva o excesso de colesterol para o fígado para que seja eliminado pelo intestino. Por isso, o colesterol transportado pelas moléculas LDL e HDL é conhecido como colesterol ruim e bom, respectivamente.
Os médicos consideram que os níveis de HDL devem ser de, no mínimo, 60 miligramas por decilitro de sangue e os de LDL não devem ultrapassar 100 miligramas por decilitro de sangue. Em quantidade superior a essa, o colesterol "ruim" pode se acumular nas artérias e formar placas de gordura. "Com o tempo, essas placas reduzem a circulação do sangue que vai para o coração e podem formar coágulos, interrompendo completamente a passagem do sangue, que é a causa do infarto ou derrame cerebral", diz o cardiologista Luiz Bortolotto, coordenador do Centro de Hipertensão do Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo.
A alimentação é uma importante fonte de colesterol — e a qualidade dos hábitos alimentares é fundamental para controlar os níveis de gordura no sangue. Para garantir que o colesterol não prejudique a saúde, é essencial evitar o consumo de gorduras saturadas, como explica o endocrinologista Alex Leite, do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, em São Paulo. Segundo ele, alguns alimentos ricos nesse tipo de gordura são laticínios e derivados integrais, como leite integral, queijos de coloração mais amarela, manteiga e requeijão, além de carnes gordas, como lombo de porco, picanha, cupim e embutidos.
Praticar atividade física, ingerir alimentos ricos em fibra e parar de fumar também ajuda a controlar o colesterol, reduzindo os níveis de LDL e aumentando os de HDL.
Tratamento — No entanto, existem casos em que as taxas de colesterol não se estabilizam com alimentação e atividade física. As causas para esses problemas podem estar em alguma doença metabólica, como o diabetes e a obesidade, ou na herança genética. "Pessoas que têm familiares com colesterol alto tendem a apresentar taxa elevada de colesterol, independentemente da dieta", diz Marcelo Paiva, cardiologista do Núcleo de Cardiologia do Hospital 9 de Julho.

O tratamento à base de estatina é o mais utilizado nesses casos: o medicamento inibe a produção de colesterol pelo organismo. Mesmo esses pacientes, porém, devem seguir recomendações básicas para controlar o colesterol.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Sueca é primeira mulher do mundo a dar à luz após transplante de útero.


4.out.2014 - Foto mostra um garoto nascido de mãe que recebeu transplante de útero. Uma sueca de 30 anos (que não teve o nome divulgado) deu à luz a um menino saudável por cesariana no início de setembro, cerca de dois anos após receber um útero doado por uma mulher de 61 anos de idade. O caso abre a possibilidade para que milhares de mulheres inférteis possam ter filhosUma sueca tornou-se a primeira mulher do mundo a dar à luz depois de passar por um transplante de útero, abrindo a possibilidade para que milhares de mulheres inférteis possam ter filhos, disse neste sábado o médico responsável pelo projeto de pesquisa.
A sueca não identificada tem cerca de 30 anos e deu à luz um menino saudável por cesariana no início de setembro, cerca de dois anos depois de receber um útero doado por uma mulher sem vínculos com ela, de 61 anos de idade.
Ela foi uma das sete mulheres que se submeteram com sucesso a um transplante de útero de um doador vivo -- na maioria dos casos a mãe da destinatária -- e, posteriormente, fez o tratamento de fertilização in vitro.
"Há mais algumas grávidas", disse Mats Brännström, professor de obstetrícia e ginecologia na Universidade de Gotemburgo, à Reuters. "Elas estão com mais de 28 semanas de gravidez."
Brännström disse que outros hospitais em toda a Europa, Estados Unidos, Austrália e China estão esperando pelos resultados da pesquisa sueca antes de iniciar seus próprios programas.
"Quando tivermos os resultados de outros estudos, saberemos o quão eficaz é o procedimento e quais são os riscos", acrescentou.
Os avanços médicos para tratamento de infertilidade e a ajuda às mulheres para engravidar têm suscitado debate ético generalizado, com alguns críticos dizendo que os cientistas não deveriam "brincar de Deus".
Outros questionam a moralidade de gastar enormes somas para permitir que as mulheres engravidem quando elas têm a opção de adotar.
Brännström disse que o tratamento, o primeiro disponível para as mulheres que nasceram sem útero viável ou que tiveram seu útero removido por causa de câncer, é "uma questão de justiça".
"Se decidirmos enquanto sociedade que a infertilidade é um tipo de doença, devemos tentar tratá-la", disse ele.
Cerca de 200 mil mulheres na Europa sofrem de infertilidade uterina. Brännström disse que o transplante era "a única solução para o problema", embora fosse muito cedo para dizer se o procedimento, que custa cerca de 100 mil euros (125 mil dólares), se tornaria comum.
A Universidade de Gotemburgo tem permissão para fazer dez transplantes de útero com até duas gestações completas para cada mulher.
A universidade já tratou nove mulheres, duas das quais tiveram que ter seus úteros transplantados removidos. Todas as mulheres tratadas terão seus úteros removidos novamente após a gravidez.
"Este é o primeiro tipo de transplante que é temporário", disse Brännström.
A primeira gravidez do programa foi confirmada na primavera do hemisfério norte e o bebê de 1,775 kg nasceu por cesariana depois que a mãe desenvolveu pré-eclâmpsia na 32ª semana de gravidez.
"O bebê chorou imediatamente e não exigiu qualquer outro cuidado além da observação clínica normal na unidade neonatal", disse Brännström em um comunicado.
"A mãe e a criança estão muito bem e voltaram para casa. Os novos pais, naturalmente, estão muito felizes e agradecidos."

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Celular pode conter mais bactérias do que a sola do sapato.


VEJA Os 9 minerais mais mortíferos que a humanidade já extraiu da Terra.


[IMG]
Foto 1 de 9 - Cinábrio/cinabre (HgS): esta fonte de mercúrio, quando oxidada, produz dois compostos tóxicos que causam danos irreparáveis ​​ao sistema nervoso de crianças. E o mercúrio é fatal em pequenas concentrações, podendo ser absorvido pela respiração, intestinos ou pele. Por isso, as indústrias já eliminaram ou estão eliminando seu uso.
[IMG]
Foto 2 de 9 - Pirita (FeS2): a pirita era a única fonte de enxofre e ácido sulfúrico, usados em toda a indústria. Isso levou a danos ambientais devastadores, tornando ácidas as águas subterrâneas e córregos próximos. A pirita não é mais minerada comercialmente: o enxofre pode ser coletado como um subproduto do gás natural e petróleo.
[IMG]
Foto 3 de 9 - Fluorita (CaF2): esta bela pedra verde pode ser muito perigosa. Ela contém flúor, um mineral solúvel que se concentra em águas subterrâneas e que pode se espalhar pelo ar. Em excesso, ele causa fluorose, enfraquecendo ossos e articulações. Muitas comunidades rurais na Índia, China e sudeste asiático sofreram com surtos da doença.
[IMG]
Foto 4 de 9 - Quartzo (SiO2): este é o segundo mineral mais comum na crosta da Terra, e o mineral mais usado pela humanidade. Mas ao inalá-lo, ele causa silicose, doença que incha os pulmões e gânglios linfáticos e dificulta a respiração. Ele também pode causar câncer de pulmão, doença associada às indústrias de mineração e fabricação de vidro.
[IMG]
Foto 5 de 9 - Galena (PbS): deste mineral, obtemos o chumbo. Ele não é tão ruim quanto o mercúrio, que pode matar você imediatamente, mas o chumbo não sai do seu corpo: ele se acumula ao longo dos anos até atingir níveis tóxicos. Ele contribui para o surgimento de câncer, e causa defeitos congênitos graves em fetos.
[IMG]
Foto 6 de 9 - Fenaquita (BeSiO4): ela é extraída por ser uma pedra preciosa, e pelo seu teor de berílio. Este elemento químico já foi um precursor para muitos materiais cerâmicos, até descobrirem que inalar pó de berílio causa beriliose – é como a silicose, porém muito mais grave. Ela causa uma reação alérgica nos pulmões, e não pode ser curada.
[IMG]
Foto 7 de 9 - Erionita: este é um zeólito, um tipo de silicato chamado de peneira molecular, por reter certas moléculas de acordo com seu tamanho. A erionita se parece muito com minerais de amianto, e causa danos a humanos da mesma forma: através de mesoteliomas, um tipo de câncer. Ele não é mais minerado desde o final dos anos 80.
[IMG]
Foto 8 de 9 - Hidroxiapatita (Ca10(PO4)6(OH)2): o fósforo do seu fertilizante e o flúor na sua água da torneira muito provavelmente vieram de uma pedra como esta. No entanto, a exposição à hidroxiapatita (seja na sua mineração ou processamento) deposita esses mesmos minerais em suas válvulas cardíacas, petrificando-as.
[IMG]
Foto 9 de 9 - Crocidolite: diga olá para o material mais perigoso do mundo. Mais conhecido como amianto azul, o crocidolite já foi amplamente utilizado por ser forte, flexível e resistente ao fogo. Mas, em 1964, descobriu-se que o amianto causa mesotelioma – um tipo de câncer – e o mineral parou de ser usado após algum tempo.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Confira a agenda e propostas de MEDEIROS,Vote em quem trabalha de verdade.43.234.

 Hoje a noite comício do candidato a deputado estadual medeiros contador a partir das 20:00 hs na rua riacho do maxixe no promorar.

PROPOSTA:
Como Deputado ajudarei o esquadrão resgate a ser legalizado e destinarei recursos para essa equipe que faz um trabalho excepcional na cidade de currais novos; Implantarei no antigo prédio do CSU na rua tomás galvão um centro de referência para os diabéticos da região do seridó pois o programa que havia para esses pacientes no hospital padre joão maria foi extinto e hoje muitos desses pacientes vivem abandonados sem um atendimento digno.


quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Texto de Margareth Fernandes.

PORQUE VOCÊ TEM RAZÃO?
Será que: Os seus conceitos estão corretos, suas opiniões coerentes, suas alternativas são as únicas opções?
Porque você tem razão?
Hum... Como é difícil se dar por vencido, recuar e mudar. Mas, se você se superar acreditando no poder da mudança, na beleza do recomeço e que as escolhas que vem do bom censo, da fé e da experiência te capacitam... Você dirá:
Nem sempre eu tenho razão.